DAMA SEM PUDOR

 

Tenho secretos planos

Terríveis desejos

Quero dizendo que a amo

Retirar os seus panos

E sufocá-la com meus beijos.

 

Quero olhando em seus olhos

Me molhar com o seu suor

E enquanto me molho

Ficar espalhando óleo

No corpo que já conheço de cor.

 

Quero em meio aos seus sussurros

Ouvir promessas que me façam feliz

Ver surgir no quarto semi-escuro

Um facho de luz lindo e puro

Mostrando ser verdade tudo o que diz.

 

Quero que seja considerada

Recatada diante de qualquer observador

Mas que quando estiver deitada

Comigo não pense em mais nada

Além de entregar-se sem nenhum pudor. 

 

Eduardo de Paula Barreto