LONGE DE TI

 

Longe de ti não há paisagem

Nem há pássaro cantor

Não há sentido na viagem

Nem mesmo há viajor.

 

Longe de ti não vejo cores

Me intrigam as borboletas

Que provocam horrores

Com uma fúnebre cor preta.

 

Longe de ti me sinto fraco

Não há sentido no alimento

Não há atraente prato

Não há saboroso condimento.

 

Longe de ti não há nexo

Nem prazer no beijo

Muito menos no sexo

Só por ti tenho desejo.

 

Eduardo de Paula Barreto