PRETA

  

Jabuticaba, pérola negra

  Jeito insinuante de andar

Legado deixado pela raça que tem como regra

Encantar, encantar e encantar.

 

Não existe mulher cujo gingado

Imite o que as negras têm

Coisas como seduzir com o rebolado

Hipnotizar deixando qualquer homem zen.

 

A beleza tão exclusiva

Nunca passa despercebida

Doce pele, preta, lisa

Rugas não surgem até o fim da vida.

 

Alma sorridente, olhar malicioso

Dentre os produtos desta Terra

É o fruto mais saboroso

E como mulher a mais felina fera.

 

Eduardo de Paula Barreto